29 de março de 2009

Das cólicas ao peito, muito peito!





De um dia para o outro, tudo mudou. Mamãe até se pergunta se todo aquele choro do início de noite de dias passados era mesmo cólica. Mas, como diz a vó Paula, a gente vai aprendendo na prática, não tem receita. Neste início, é no empirismo mesmo, filho. Bem, mamãe vai contar como a vida se transformou desde o domingo 22 de março, quando você estava com 39 dias. No sábado anterior não chorou, não teve mal estar... nada. Seu pai e eu nem acreditamos. Mais uma folga num sábado, depois de três semanas difíceis... um presentão. Daí, no domingo, fomos para o aniversário do Vinícius, filho da Cris. Como você costuma passar super bem depois de uma saídinha, mamãe até torceu para a noite ser tranquila, mas achava que era pedir muito. Imagine, mais um início de noite sem a peregrinação pelos quartos?! Você mamou cerca de 40 minutos e largou o peito, como sempre faz. Daí, te coloquei para arrotar. Arrotou. De repente, um choro intenso... Ave! Seu pai correu, voltou com a bolsinha de água quente pronta, mamãe sacou o Mylicon e pingou as três gotinhas na sua boca aberta e já estava se preparando para umas duas horas de caminhada e um pouco de dor nas costas. Por um milagre, quando olhei para você já no colo do seu pai com o calorzinho entre vocês, achei que o movimento da sua boca parecia de fome. Fome? Como assim? Você mamou muito, largou o peito sozinho. Como poderia querer mais? Resolvi te oferecer... não deu outra! Você abocanhou o peito e parou de chorar imediatamente. Nem acreditamos. Mamou mais meia hora talvez e já largou dormindo, desmaiado! De novo, nós dois não acreditamos. Gente... então era fome! Depois disso, mamãe agora acha que na semana anterior, em que você chorava muito, era fome ainda. Só podia ser, afinal, desde que a gente se deu conta de que mamar 40 minutos e largar o peito para arrotar não é o sinal definitivo de satisfação, você tem mamado mais. É, desde aquele domingo, toda vez que você chora forte, no início da noite depois de mamar, mamãe oferece mais e você pega na hora. Pega e segue até mais uma hora mamando. É uma coisa de louco, de impressionar. O primeiro dia da ajuda da Roberta foi assim: te demos um banhinho e depois ela passou duas horas praticamente assistindo a mamãe te dar de mamar. Na terça foi a mesma história. Eu e seu pai ficamos tão chocados que queríamos antecipar a sua consulta com o pediatra, pra saber se pode alguém tão pequeninho querer mamar tanto. Só para deixar claro aqui: leite tem! Enquanto você mama em um, o outro peito produz leite... e você não chora ao mamar, sinal de que está bem e de que está conseguindo o que quer. Não conseguimos marcar a consulta para essa primeira semana da mudança, em que você mamou até duas horas e meia - sugando e parando - de domingo até hoje, domingo, dia 29. (Você está uma graça deitado na cama atrás da mamãe aqui no escritório! Já fez seus barulhinhos e voltou a dormir! Hoje tá uma coisa! Você deu intervalos enormes de madrugada, deixou a mamãe dormir de manhã também... uma benção!) Então, a gente não conseguiu horário na semana passada, mas depois de conversar com a Laura - a super Nanny - na última sexta, cheguei à conclusão de que pode ser normal você querer tanto leitinho. Ela disse que o Lucas chorava muito, dia e noite, durante um período e que, apesar de estar ganhando peso, a pediatra sugeriu que talvez fosse fome e passou um complemento de Nan para a noite, o que fez ele voltar a ser um bebê tranquilo. Ou seja, talvez, para resolver a questão do cansaço que é ter você no peito por até 2 horas e meia, o pediatra sugira o Nan. Mas a mamãe vai avaliar os benefícios e prejuízos disso... se for fazer você abandonar o peito antes, mamãe vai continuar a te amamentar por horas a fio até quando for possível. Cansa, mas é uma delícia saber que você está passando bem, sem dor, sem sofrimento... e, principalmente, que a mamãe é capaz de resolver o seu choro! Isso não tem preço. Viva você! Viva a gente! Viva o aprendizado! Viva!!!! Tá tudo uma delícia, filho! Você está cada dia mais gostoso... gordo que só. E mais: não tem uma pessoa que te veja e não comente o tanto que você é "corado", "moreninho", "bronzeado"... fruto do solzinho matutino de dez minutos quase todos os dias, pra fixar o cálcio de todo esse leite que você está tomando.

2 comentários:

Eliane disse...

Pri, eu vivi essa mesma coisa com o André. Depois de um mês de muita choro eu tive essa mesma sensação que você está tendo. Que a maior parte do choro dele porderia ser fome. Conversei com o pediatra que me orientou o seguinte: quando ele estiver chorando muito, ofereça o peito, pois se for fome ele pega, se for dor, ele larga, pois criança nessa idade não come por gula, só por fome. E acredita que ele nunca largava! hehehe!!! Desde então, passei a dar peito a hora que ele quizesse. Conclusão, ele mamava uns quinze a vinte minutos em interevalos de 50 min. Eu ficava muito cansada, mas em compensação, o bichinho só crescia e ganhava peso! MAs o choro dele não diminuiu por completo, porque ele tinha um refluxo intenso. Quando ele fez dois meses nós trocamos de médico. E a nova pediatra acrescentou mais um remédio para o refluxo. Esse remédio melhorou mas não resolveu os choros, depois ela introduziu o omeprazou, foi a salvação! A nossa qualidade de vida melhorou 100%.
Faça um esforço para amamentá-lo só no peito, pelo menos enquanto você tiver de licença. Pois isso é significativo na vida deles. Como você mesmo disse, até o tom de pele é diferente. A gordura de bebê amamentado no peito também é diferente do que é alimentado por fórmula, fora que eles não pegam resfriados nem doenças, pois nossos anticorpos são todos passados para ele. O André teve seu primeiro resfriado com oito meses. No mais, o tempo passa muito rápido, daqui uns dias sua licença acaba e por mais que você queira, ele nõa poderá ficar só com o peito. Aproveita esse tempo que é só seu e dele! A gente fica cansada, mas é tudo bom!!!
Não vejo a hora de ver vocês!
Um super beijo,
Eliane e André

Cosmão disse...

Muito encorajador o post, minha esposa teve nosso bebe há duas semanas e ele se comporta da mesma forma, chega à noite ele chora, chora, chora e só com o peito ele acalma e dorme, além do remedinho que o pediatra receitou.

Bom saber que é normal, agora só "depende" da força da minha esposa pra aguentar as mamadas que às vezes duram horas hehehe!