25 de outubro de 2008

A confirmação - será mesmo que estamos grávidos?

Como era de se imaginar, nem eu nem seu pai aguentamos esperar o tal dia 03 de julho. Seu pai estava ainda mais ansioso do que eu. Passou os dias anteriores, 29, 30 e 1o. perguntando: "E aí, Pri?" para saber sobre a menstruação. Eu dizia: "Nada ainda, mas você não pode ficar assim... imagine se não tiver nada?". Acho que a ansiedade dele talvez tenha sido estimulada pelas minhas sensações. O peito inchou, doeu, o gosto diferente na boca apareceu e as colicazinhas breves e em dias diferentes também. Tudo indicava algo especial. Mas como eu mesma já testemunhei, podia ser tudo psicológico. Fui para a academia no dia 02 e a Paula já dizia que eu estava grávida, desde o dia seguinte da concepção. Segundo ela, me vesti de forma diferente e estava já com cara de mãe. Resolvi acabar com a dúvida. Eu tinha uma certeza: se não estivesse grávida, não ia ser um dia que mudaria tudo... se já estivesse, ia aparecer no teste de qualquer jeito. Passei na farmácia da Praça Panamericana e comprei o indicado pela Laura: CONFIRME. Nossa.... cheguei em casa maluca. Li tudo na bula, entendi as orientações: depois do xixi, se aparecesse um traço rosado ou roxo, era positivo. Fui lá, fiz o teste e olha a tal lista lá! Eu não acreditei, juro. Tinha certeza que o xixi passou do ponto, atingiu uma parte não permitida do teste, pensei em tudo. Ao mesmo tempo que a gente queria muito, parecia inacreditável ter engravidado mesmo numa única noite, na escolhida. Liguei para o seu pai na TV. Uma das primeiras coisas que ele disse foi: "Por que você não me esperou para fazer o teste?" Detalhe: ele já sabia que eu ia comprá-lo, mas não achou que eu fosse fazer logo que chegasse em casa. Mas não aguentei! Imagine, com o negócio na bolsa, ficar esperando...uma agonia. Eu falei para ele do resultado e disse que não acreditava. Ele já tinha procurado um tanto de coisa no GOOGLE. Tá achando o que? Leu tudo, sabia de tudo... "Pri, é positivo. Não tem erro! Se apareceu o tracinho, você tá grávida mesmo!". Eu disse: "Mas a cor tá meio clarinha... o xixi passou da conta...não, não vou confiar. Compre e traga outro quando estiver voltando para casa!". A gente passou o fim da tarde toda se ligando, se falando. Eu já não lembro muito bem da cronologia, mas acho que liguei para mamãe, a vó Paula, no primeiro resultado. Disse que duvidava e que o seu pai ia trazer outro, mas que esse tinha dado positivo...e pedi: "Não conte para ninguém, só para o Alexandre!". O mesmo pedido foi feito para o seu pai, que ganhou o apelido de bocudo naqueles primeiros meses... Gente, ele não se continha! Saía anunciando a gravidez para Deus e o mundo. Quer ver um exemplo? Ligou para sua vó Nair da farmácia dizendo: "Mãe, estou comprando um teste de gravidez para a Pri!" Precisa mais? Quando ele chegou em casa, eu fiz tudo certinho, para não ter erro. Peguei um copinho de plástico de festa, fiz o xixi no copinho e joguei em cima do medidor. Tinha que deixar 5 minutos parado, na pia, pra esperar o resultado, mas o negócio foi ficando rosa logo... Eu entrei no banho, sem acreditar... seu pai, do lado de fora, também. Ficava lá com o olho em cima do visor: "Pri, não tem erro! Tá grávida!". A gente falava sobre isso, mas a ficha ainda não tinha caído não... acho que nenhum de nós dois acreditava que de fato tinha dado certo a tentativa. rs. Tô rindo ao escrever isso daqui .... foi engraçado. Saí do banho e comecei a ligar. De novo, para a vó Paula: "Mãe, o segundo teste deu positivo" Ela dizia: "Eu não tinha dúvidas... depois do primeiro, minha filha! Que bacana, Deus abençoe... um filhinho vindo aí..." Eu insisti para não divulgar até que eu fizesse o exame de sangue. Vai que estava errado, né? Mas já no dia seguinte soube que ela não se aguentou. o Alexandre ligou para parabenizar e disse que ela estava impossível, já tinha contado para um tanto de gente e só fala nisso, em ser avó.
Guardei os dois testes, para arquivar no meio das suas memórias e saímos. Era aniversário da Helena Fruet, num bar cubano. Eu me lembro bem, porque tentei falar com o seu avô de primeira viagem, mas ele não atendeu o telefone, estava dando aula. Quando ligou de volta, nós estávamos lá, curtindo. Deu vontade de contar para as meninas da TV. Seu pai queria brindar com todos...mas eu o contive e conseguimos ir embora sem que ninguém suspeitasse. O vô Marcos ficou super feliz, deu os parabéns e disse: "Que Deus abençoe!" Ah, ele também perguntou sobre a minha preferência, por menino ou menina... eu disse que gostaria de começar com um menino... mas não dava para prever, né? E ainda ia demorar para descobrir. No fim, você era mesmo o menino que eu tanto desejei no início.


As únicas amigas a saber e o exame de sangue.

No dia seguinte ao teste de farmácia, cheguei no trabalho maluca... Fui direto na Laura, que estava no figurino trocando de roupa para apresentar. Levei os dois escondidos numa capa de escova de dente rosa que eu tinha. Não queria que ninguém da TV suspeitasse. Quando abri e mostrei, ela deu um escândalo. "Priscilla, eu não acredito! Isso é positivíssimo, não tem erro. Menina, parabéns!" Depois vieram os comentários sobre como foi rápido, como foi impressionante... como eu sou fértil. Ah, coisa que a vó Paula também falou, né? "Minha filha, se foi rápido assim, imagine se você não tivesse prevenido antes... já teria vários!". Também contei para a Lidi, grávida da Sarah. E pedi segredo absoluto. No mesmo dia, liguei para a Dra. Paula, para pedir um exame de sangue. Liguei do trânsito e falei dos dois testes. Ela falou: "Um já não tem erro, dois então... Você está grávida!" Eu disse: "Ainda assim queria um pedido para fazer o exame de sangue..." Ela mandou eu passar lá e fui logo buscar. No dia seguinte ou no próximo eu já estava no Lavoisier... o laboratório dos carniceiros ou vampiros. Um horror. A mulher que tirou o sangue parece que tinha começado naquele dia... como doeu! A idiota errou a veia no braço direito. Isso nunca tinha acontecido. As minhas veias são como as do vô Marcos, aparecem rápido e são fáceis de localizar. Daí falei que não dava conta, que estava doendo. Ela deu uma desculpa esfarrapada, com se o problema fosse da veia e foi tirar no outro braço. Outro suplício... credo, não gosto nem de lembrar. Depois, no fim daquela barbárie, a infeliz ainda me mandou colocar gelo nos dois braços. Eu saí de lá chorosa, tentando falar com a minha mãe e com meu pai. O seu pai Rafael, ficou p. da vida. Disse que não era para eu voltar nesse lugar nunca mais. Que era para fazer no melhor laboratório de São Paulo, custasse o que custasse!
Uns dois ou três dias depois, não me lembro bem, já tinha o resultado pela internet. A Laura (personal gineco) insistiu no exame de sangue porque disse que já dava para saber se eram gêmeos. Gente do céu, até isso ela sabia. Eu fiquei com medo naqueles dias, confesso. Acho lindo, uma graça gêmeos, mas é punk! Dois na barriga, dois pra tudo ao mesmo tempo... torci para você ser único. No resultado, a contagem do tal hormônio deu 5.000 mil. Ou seja, positivíssimo, mas feto único, segundo a super nanny, que acertou mais uma vez. Daí liguei para a vó Paula e o vô Marcos de novo, confirmando, mas eles não tinham dúvidas. Desde o teste da farmácia, já se preparavam para ser avós. hahaha. Ah, além das duas grávidas da TV, a única amiga da mamãe de BH que soube da gravidez desde início foi a Tia Bia Mignolo, que andava sempre conversando comigo pelo messenger. Pedi para ela não contar para ninguém... mas já previa que isso fosse impossível. Tudo bem, no fim, quase ninguém guarda segredo mesmo. Ainda mais quando a notícia é boa. Além dela, também contei para a Tia Manu, que está em Nova York. Ela vivia insistindo para eu engravidar ainda na época do desemprego. Dizia: "Aproveite... tenha logo esse filho. Coitado do bichinho (seu pai), não aguenta mais esperar!" Ela sabia que desde 2003, pouco depois do casamento, seu pai já falava em filhos. Quando nos mudamos para Maceió e ele foi antes, escolher o apartamento, ele falava para os amigos que teríamos filhos em breve. Demorou, hein?!

Sua mãe

Um comentário:

lau_ferreira disse...

Seu jeito no telefone no dia do teste: "Menina, apareceu uma outra lista rosinha claro no negócio. Mas foi pq eu fiz xixi em cima. Fiz no lugar errado"
hahahaha. Muito bom.
E no dia seguinte, vc com os dois testes na bolsa. Perdemos a chance do registro fotográfico. Mas a cena está guardada na minha memória.
Beijos
Personal gineco e super nany(adoro!!!! hahahaha)