22 de junho de 2009

A primeira mamadeira

Foi hoje, dia 22 de junho, agora há pouco... pouco antes das 15h. Mas com leite do peito, pelo menos isso. Pra mim foi marcante porque a primeira mamadeira era como um 'mito' na minha vida. Seria a primeira vez desde o nascimento que você se alimentaria de algo que não fosse o meu peito. Por isso, eu criei uma fantasia em torno dela. Na minha cabeça filho, deveria ser dada por mim ou pelo seu pai. Mas não teve jeito, foi a Dorinha mesmo (logo, logo explico o porquê). Para a minha felicidade, nem foi tão duro assim aceitar que fosse a babá a primeira. No fundo, acho que só fiquei tranquila porque eu estava do lado acompanhando.

POR QUE A BABÁ?
Bem, você tinha mamado até 12h10, mas foi uma daquelas vezes em que só pegou um pouquinho: sete minutos apenas. Eu fui para ginástica às 13h30. Ia te levar para o clube, mas você dormiu. Daí, resolvi deixar o telefone da Paula - a professora - em casa para a babá ligar se necessário. Já estava nos abdominais, terminando a aula quando o telefone tocou. Era a Rose, a empregada, dizendo que você estava chorando muito. Vim zunando... sabia que era fome! Já eram 14h30. Quando cheguei, você estava calminho já, no colo da Dorinha, vendo a fonte e os peixinhos. Um lugar maravilhoso pra te acalmar, por sinal. (acabo de descer pra te levar para lá de novo, porque você voltou a chorar enquanto eu escrevia...). Pois então, assim que cheguei do clube te peguei e fui te amamentar. Você mamou uns três minutos e começou a esguelar! Meu Deus... lembrei na hora da história de que não se deve amamentar logo depois de fazer ginástica! Pedi ajuda para a Dorinha, que te pegou no colo. Enquanto isso, fui tomar um banho, pra ver se ajudava em alguma coisa. Nada... lembrei da mamadeira com uns 50 ml de leite que estava na geladeira. Leite que eu tirei ontem (pena que me esqueci de tirar mais antes de sair para a ginástica, para aliviar o peito... assim você teria mais leite disponível). Até tinham outros 150 ml de leite congelado, mas na última vez que tentei esquentá-lo ficou com gosto de plástico e achei que tenho que pensar em outra forma de descongelá-lo. Senão, vai pro lixo de novo. Então, botei esse leitinho (50 ml) na mamadeira que usei para tentar te dar chá na época do calor, em março. Você tinha gostado do bico, mas só não aceitou porque odiou o gosto. Imaginei que funcionaria, mas eu estava tão nervosa com a sua choradeira, tensa por saber que era fome e que o meu leite podia ter ácido lático em excesso, que fui tomar um chá de camomila e deixei a Dorinha te dar a mamadeira. Pra te fazer pegar, ela ficou em pé te mostrando o cavalinho... só depois se sentou. Pra não arriscar, coloquei o Pinocchio na sua frente... mas o leite estava acabando. E eu já estava prevendo o próximo choro.
Te coloquei no peito em seguida, mas você recusou. Pensei então que você estivesse bravo comigo. Dorinha e Rose acharam graça: "Como um bebê desse tamanho vai ter raiva da mãe!?" Sei lá, na hora do estresse a gente pensa em cada coisa! Resolvi então tirar o leite com a bombinha... pensando que se você o pegasse depois, era birra comigo mesmo. Tirei 60 ml e você já estava relativamente tranquilo de novo com a Dorinha... Pois bem, tirado o leite, fui eu mesma te amamentar com a mamadeira... e você não quis nada! Portanto, a minha conclusão é de que a ginástica realmente interferiu no gosto. Como você ainda não está calmo, estou aqui tensa pensando que ainda possa estar com fome. Enquanto isso, o tempo da ginástica está passando... a Encantadora de Bebês diz que é bom amamentar apenas uma hora depois da atividade física. Então, se eu conseguir relaxar, pode ser que o leite melhore em breve e você consiga matar a sua fome totalmente....

MAMÁ DE VERDADE
Pouco antes de eu reler esse registro, resolvi tentar te oferecer o peito de novo, porque você estava choroso ainda. Só que antes, achei que precisava de um chocolate, de algo doce pra sentir um prazer e a cabeça ajudar. Peguei uma colher cheia de leite condensado, molhei uns morangos e tracei. Que delícia! Mesmo assim, mais tranquila, você não quis... fui então para o banheiro brincar com a bola que o seu pai comprou para o seu tio Pedro há mais de um ano. Você, que chegou a dar gargalhadas com ela outro dia, até que curtiu. Eu já tinha desencanado de te amamentar, mas quando saí de lá, você começou a juntar a cabecinha no meu peito, entre um e outro. Achei que fosse vontade de mamar e te ofereci em pé. Você pegou na hora. Já eram 16h22. Saí andando pela casa e deitei com você na cama, como fazemos nas mamadas noturnas. Você mamou 30 minutos. Nossa, que maravilha filho. Só fiquei agradecendo a Deus. Finalmente você conseguiu matar a sua fome e relaxar. Você até dormiu. Tá lá, deitadinho no berço. Ufa! Que perrengue viu! Eu realmente fiquei tensa, estressada, preocupada, me sentindo culpada. Mas como tudo tem dois lados, o bom de tudo isso é que você pegou a mamadeira. Isso significa que, em breve, quando eu voltar a trabalhar (nem gosto de pensar nisso), não será tão difícil assim. Tomara. Tem mais: ginástica antes do peito, never again! Tá maluco!?!

2 comentários:

MARCO ANTONIO disse...

Filho, esta sua mãe é o máximo! Ela conta a história de um jeito tão especial que a gente fica torcendo para acabar tudo bem!

Pedrinho disse...

O a Dorinha, parece modelo. So na mamadeira entao Rafa, coloca uma historia com o primao ai Pri.
Beijos Rafa - Pri e Tio